Medicina

O que é e como prevenir o câncer de pele?

De todos os cânceres diagnosticados no Brasil, 25% são de pele e a grande maioria ocorre pelo excesso de exposição aos raios ultravioleta do Sol. Qualquer célula que compõe a pele pode dar origem a um câncer, o que faz com que existam vários tipos. Como:
Carcinoma basocelular: É o tipo mais comum, 70% dos casos diagnosticados são basocelular. Felizmente, é o menos agressivo e dificilmente se espalha para outros tecidos. Esse tipo de câncer se desenvolve principalmente no rosto e no pescoço, o nariz é o local mais frequente, seguido da orelha.
Esse tipo possui uma aparência um pouco diferente da pele normal, se parece com uma protuberância aperolada, podendo ser branca, rosa, bege ou marrom, sangra com facilidade, não cicatriza e pode formar uma crosta ou vazar algum líquido.
Carcinoma espinocelular: É o segundo tipo mais comum, representa cerca de 20% dos tumores diagnosticados. O espinocelular se desenvolve nas áreas mais expostas ao sol, como couro cabeludo e orelha, e atinge principalmente pessoas acima de 60 anos, do sexo masculino. Infelizmente, é mais agressivo e pode atingir outros órgãos, caso não seja retirado logo no início.
Apresenta-se como uma mancha ou caroço com pigmentação diferente do resto do corpo, normalmente avermelhado, com uma aparência enrugada ou mais endurecida, descasca com facilidade e se desenvolve muito rápido.
Melanoma: Tumor maligno que atinge pele, olhos, orelhas, membranas mucosas, genitais e trato gastrointestinal. Um dos tipos mais perigosos, pode invadir qualquer órgão, incluindo coração e cabeça. Apesar de ter uma incidência bem menor do que os outros, nos últimos anos estão surgindo cada vez mais casos no mundo inteiro.
Os primeiros sinais do melanoma são a mutação em uma mancha ou pinta ou o surgimento de novos sinais na pele que coçam, sangram e não cicatrizam.
Ainda existem outros tipos de câncer de pele, que são bem mais raros, como: Tumor de célula de Merkel, Sarcoma de Kaposi, Linfoma cutâneo de células T, Carcinoma sebáceo e Carcinoma anexial microcístico.
O câncer de pele têm maiores chances de se desenvolver em:

  • Pessoas que sofreram exposição solar por muito tempo durante a vida sem o uso de protetor solar;
  • Pessoas na fase adulta, principalmente acima dos 50 anos e em maior frequência do sexo masculino;
  • Pessoas com a pele, cabelos e olhos claros, albinos e quem tem muitas sardas pelo corpo;
  • Pessoas que já tiveram algum tipo de câncer de pele ou que têm antecedentes familiares da doença;
  • Pessoas com o sistema imunológico enfraquecido.

O tratamento consiste na retirada da lesão e do tecido ao redor, a quimioterapia ou a radioterapia são utilizadas apenas em casos mais graves. O mais importante é sempre ficar atento ao seu corpo, qualquer sinal suspeito é motivo para procurar um dermatologista. Use diariamente filtro solar com FPS 30, evite o Sol entre as 10h e às 16h, e use camisetas e chapéus ao se expor.

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

um + 4 =