Ações Sociais

SORRIA PARA A VIDA! Previna-se contra o câncer de boca

A prevenção é fundamental quando tratamos de saúde da boca. Assim, suas visitas ao dentista devem ganhar um novo foco de atenção. Você sabia que anualmente são diagnosticados 14.700 novos casos de câncer bucal por ano?

Os dados são do último levantamento do INCA (Instituto Nacional de Câncer), que revelam ainda que 5.400 casos acabam em morte por diagnóstico tardio. Por se tratar de uma doença silenciosa, é importante conhecer sobre ela para prevenir-se de forma adequada.

COMO IDENTIFICAR

O câncer bucal afeta os lábios e o interior da boca. Dentro dela, devem ser observados: gengivas, bochechas, céu da boca e língua. Segundo o Dr. Marcelo Drummond, especialista em estomatologia, a maioria das manifestações se dá na mucosa, mas também pode atingir as glândulas salivares.

Os principais sintomas do câncer bucal são:

  • Feridas que não causam dor e não cicatrizam;
  • Lesões e manchas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca e/ou bochecha;
  • Caroços no pescoço e rouquidão persistente.

A maioria das lesões pode ser identificada por um autoexame, no entanto, o paciente terá dificuldades em acessar as áreas posteriores da boca. Para um diagnóstico preciso, a recomendação é que seja feita uma consulta ao dentista.

Na maioria das vezes, quando os sintomas surgem, a doença já atingiu os estágios mais avançados. Nesse momento, o tratamento é difícil, oneroso e muitas vezes até mesmo ineficaz.

Diante de qualquer alteração na mucosa, procure um profissional para uma avaliação. No entanto, o ideal é visitar o dentista regularmente: de seis em seis meses ou no mínimo uma vez por ano, para avaliação e uma busca ativa de lesões de boca.

FATORES DE RISCO

Dentre os principais fatores de risco para a formação do câncer, estão: má higienização bucal, integrada com a uma alimentação pobre em proteínas, vitaminas e minerais; o vírus HPV; o consumo excessivo de álcool e tabaco.

De acordo com o Dr. Marcelo Drummond, o câncer de boca é multifatorial, com fatores externos e internos, sendo que 75% dos pacientes são homens com mais de 50 anos, fumantes e alcoólatras. Os outros 25% não possuem uma causa definida, mas podem estar atrelados a outros fatores de risco.”

O especialista reforça sobre a importância da prevenção: “Evite o excesso de álcool e fumo, tenha uma alimentação saudável e visite o dentista regularmente para fazer busca ativa de lesão, principalmente homens acima de 50 anos de idade”.

TRATAMENTO

O tratamento do câncer de boca depende do estado de evolução da doença, assim como o tempo e a eficácia do mesmo. O estágio 1 se caracteriza por uma lesão pequena, de menos de dois centímetros. É possível removê-la com margem de segurança e, se não houver outra área afetada, o tratamento será apenas cirúrgico. Caso contrário, é necessário prosseguir com a radioterapia.

São informações de práticas que tornam a prevenção acessível a todos. “O paciente que tem o diagnóstico precoce tem quase 90% de chance de cura da lesão”, ressalta o especialista.

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

4 × quatro =