Medicina

Envelhecimento pode ser confundido com Mal de Alzheimer

O mal de Alzheimer acomete muitos de nossos idosos e, infelizmente, ainda não foi descoberto a cura para a doença que é degenerativa e ataca o cérebro, provocando perda de funções cognitivas, como memória, capacidade de orientação e planejamento.

Por se tratar de uma doença com o diagnóstico mais complicado, é importante que as pessoas com mais de 60 anos e os familiares procurem um médico para se informarem, com o intuito de evitar que seja confundido o Alzheimer com o envelhecimento.

Na terceira idade é extremamente comum que se perca um pouco das habilidades, que se esqueça de fazer uma atividade ou outra e até mesmo esquecer ou trocar os nomes das pessoas. Mas é preciso ficar atento caso o esquecimento se torne rotineiro e não consiga lembrar depois ou perca noção de onde está ou onde guardas seus pertences.

Apesar da doença não ter cura, o tratamento tem por objetivo amenizar os sintomas e estabilizar ou reduzir o progresso da doença, mantendo o idoso ativo em suas atividades diárias por mais tempo. É feito o uso de medicamentos que devem ser combinados com uma dieta rica em vitamina C, E e ômega 3, além de fazer fisioterapia e terapia ocupacional.

O quanto antes o tratamento for iniciado, melhor será a qualidade de vida do paciente. Além do uso de medicamentos e fisioterapia, há o tratamento alternativo que inclui psicoterapia e terapia ocupacional, que possuem como objetivo manter o cérebro ativo, estimulando a memória e auxiliando nas atividades.

 

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

4 × quatro =