Medicina

Prevenção é a palavra chave para doenças do coração

A pressa é amiga da perfeição”. É assim que o conhecido provérbio aparece quando o assunto é a saúde de um dos orgãos mais importantes do corpo humano: o coração. No entanto, mais do que a agilidade, a prevenção é ainda mais eficiente quando o assunto é salvar vidas, garante o cardiologista e consultor médico do Laboratório Sabin, Anderson Rodrigues.

 

“Por isso, a necessidade de incentivar a realização do check-up independente da idade”, alerta o cardiologista, ressaltando que, entre todos os exames, o eletrocardiograma é o principal. Com ele, é possível detectar arritmias cardíacas, áreas de infarto prévio e miocardiopatias.

Prevenção

Segundo Anderson, além de identificar possíveis doenças a tempo de curá-las, os exames de rotina são capazes, inclusive, de encontrar problemas antes mesmo que eles se manifestem, por meio de uma indicação de alguma doença futura. Por isso, é impossível definir uma idade certa para iniciar o check-up do coração.

“Indicamos que os exames de rotina sejam feitos anualmente a partir dos 35 anos, mas isso é muito relativo em razão dos fatores de risco”, afirma.

O servidor público Marcelo Miolino, 48 anos, realiza check-up do coração anualmente, desde 2003, depois que recebeu o diagnóstico de pré-diabetes. “Mesmo assim, tive um infarto no ano passado e coloquei duas pontes de safena, imagina se me cuidasse?”, indaga.

Alguns sinais devem ser observados

A prevenção é a melhor saída, mas nem sempre a mais utilizada. Diante desta triste realidade, o cardiologista Anderson Rodrigues alerta para os sintomas e sinais clássicos e atípicos do organismo. “Dor aguda ou suave  no lado esquerdo do peito ou no centro do tórax, sendo normalmente um aperto que pode irradiar para o braço esquerdo e para a mandíbula ou até mesmo para o pescoço, são características clássicas de um coração doente”, explica Anderson, acrescentando a sudorese intensa.

Já entre os sintomas e sinais atípicos, alerta o médico, os destaques são para a falta de ar, dor no estômago, tontura, desmaios e confusão mental. “Dor no lado direito do peito também é um sintoma, principalmente em idosos, diabéticos e mulheres”, conclui.

Fonte: Da redação do Jornal de Brasília

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

dezenove + 12 =