Odontologia

Como cuidar e prevenir a periodontite na gestação

A gestação é um período de transformações no corpo da mulher e a saúde bucal deve ser um ponto de fundamental atenção. Um dos mais importantes focos de cuidado deve ser a doença periodontal, que pode por em risco a saúde do bebê e da gestante.

Na gravidez a mulher tem um aumento natural de hormônios que afetam todo o seu corpo, incluindo a cavidade oral. Os tecidos periodontais possuem receptores específicos para os hormônios femininos, logo o aumento da taxa hormonal pode promover mudanças como a vasodilatação e o aumento da resposta inflamatória.

A periodontite é uma doença que se manifesta inicialmente como uma inflamação da gengiva. Nesse estágio ela tem o nome de gengivite, mas se não for tratada pode evoluir para o estágio mais grave da doença: a periodontite. Além da inflamação na gengiva, também pode existir a perda óssea, que pode amolecer o dente ou até mesmo acarretar a sua perda.

Vale esclarecer que as alterações hormonais da gravidez não causam a periodontite, apenas tornam os tecidos mais suscetíveis. Ou seja, a gravidez apenas pode agravar problemas periodontais já existentes, frutos de uma acumulo de placa bacteriana. Mas a questão central na gestação é avaliar os problemas que ela pode trazer para mães e bebês.

Por isso a medicina periodontal estuda a relação entre a saúde bucal e a saúde integral da gestante. Entender e conscientizar que os pontos de sangramento presentes na boca, decorrentes da doença periodontal, e consequentemente as bactérias que caem na corrente sanguínea e passam a circular pelo corpo, podem sim afetar a saúde da mãe. A Dra. Claudia Todescan, Mestre em Periodontia pela USP é enfática “A gente pode citar alguns exemplos, esses comprometimentos podem ser cardíacos, pulmonares… As bactérias favorecem o entupimento das artérias e dificultam o tratamento de diversos problemas, como as artroses, entre outros, então a resposta é sim a periodontite pode gerar problemas para a saúde da mãe e deve ser sempre cuidada.”

A periodontite na gravidez é um assunto sério, que pode afetar a gestante e o seu filho. Um dos seus aspectos mais relevantes é a possibilidade da mãe entrar em trabalho de parto cedo demais, fazendo com que o bebê nasça prematuramente e abaixo do peso.

Todescan reforça os aspectos para identificar os principais sintomas da doença “Precisamos ficar atentos a qualquer sangramento que ocorre na boca quando escovamos os dentes, utilizamos o fio dental ou nos alimentamos, pois este é um dos primeiros sintomas da doença periodontal, além do sangramento, podemos observar em alguns casos mobilidade nos dentes gengivas, inchadas avermelhadas ou doloridas e também o mau hálito. Para que se feche realmente um diagnóstico adequado é necessário que o paciente vá a um cirurgião-dentista qualificado.”

Existem vários tipos de periodontite. O mais importante é saber que normalmente sua principal causa é a higiene deficiente, que gera o acúmulo de placa bacteriana. A correta escovação e a limpeza do tártaro são fundamentais para evitar a periodontite. Cientes disso, podemos prevenir a doença, e a Dra Claudia lembra de um aspecto fundamental, a prevenção alinhada ao Pré Natal Odontológico, ainda pouco valorizado e reconhecido pela mães “O Pré Natal Odontologico é essencial para o bem estar da mãe e do bebê, nesta visita serão revistos todos os hábitos de higiene, explicados os cuidados com a dieta e serão estabelecidos os intervalos ideais para o retorno dessa paciente ao consultório odontológico. Durante essas visitas de retorno deverão ser feitos o check up odontológico, além das limpezas profissionais.”

Um gesto simples, procurar um profissional da odontologia qualificado, pode evitar uma série de complicações. Mães e bebês livres dos problemas que a periodontite pode trazer.

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

quatro × dois =