Odontologia

Saúde Bucal na Melhor Idade: Informação para prevenir e cuidar

Envelhecer não é fácil. Hábitos de uma longa vida, necessidades específicas da idade e as diversas mudanças hormonais impactam a saúde do idoso. E a saúde bucal também sofre com essas mudanças.

Prevenir e manter os dentes saudáveis por toda vida exige sobretudo acesso a informação e o diagnóstico precoce. Nesta fase da vida, uma série de doenças bucais podem ser desenvolvidas, causadas pelas próprias características da idade, hábitos, perda óssea, remédios, dentadura ou até mesmo decorrentes de outras doenças. Atualmente, existe um limitado acesso a orientações e informações.

“Dentes saudáveis podem afetar positivamente o bem-estar do idoso”, comentou a dentista especialista em terceira idade, Renata Azeredo.

Uma má mastigação, por exemplo, pode sobrecarregar órgãos importantes como estômago, fígado e rins. As doenças bucais também podem influenciar outras enfermidades, como a hipertensão, problemas cardíacos e renais, tireóides e diabetes.

As doenças mais comuns diagnosticadas por dentistas nesta fase são:

Xerostomia ou boca seca
Causa a diminuição salivar por uso de medicamentos ou por tratamentos de radioterapia. Com a diminuição do fluxo podem aparecer cáries.

Cárie na raiz
A gengiva pode sofrer retração e a raiz do dente fica exposta, aumentando o risco de cáries e provocar, ainda, uma hipersensibilidade da dentina.

Lesão da mucosa bucal
As lesões são decorrentes do uso de prótese. Elas podem aparecer na gengiva, língua, bochecha e céu da boca. Estas lesões podem provocar candidíase e câncer bucal.

Periodontite
É uma inflamação gengival que pode levar a perda do osso de suporte dos dentes, deixando-os amolecidos.

Endocardite
Ocorre por alta incidência de cárie e por doença periodontal (gengivite e periodontite). A bactéria provoca infecção na parede interna do coração ou válvulas.

Os dentistas do grupo Qualidade em Saúde realizam no dia 24 de março a Campanha Nacional Check-Up Melhor Idade. O objetivo da ação é conscientizar e promover informação e diagnóstico preventivo para milhares de pessoas acima dos 50 anos.

A campanha irá cobrir todas regiões do país, envolvendo diversos estados e municípios. Serão mil profissionais voluntários em cinquenta cidades, inclusive nas capitais: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Curitiba e Porto Alegre. Sessenta localidades receberão a campanha, entre elas: asilos, casas de idosos, shoppings e praças.

A expectativa do grupo Qualidade em Saúde é que nesta terceira edição, mais de cinco mil idosos sejam atendidos.

Adicionar Comentário

Clique aqui para escrever um comentário

13 − 13 =